Missões Urbanas

Quando se fala em fazer Missões imediatamente pensamos em outros países: África, Índia etc

Deus tem gerado no meu espírito uma compaixão por pessoas. Pessoas próximas de mim, ao meu alcance. Comecei a olhar minha parentela, a igreja que congrego, pessoas do meu bairro, da minha cidade, estado e do meu país. Porque não fazer MISSÕES URBANAS onde o Senhor tem me estabelecido?

Então me lembrei de uma passagem bíblica em Atos 1:8 que diz “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em JERUSALÉM, EM TODA A JUDÉIA E SAMARIA, E ATÉ OS CONFINS DA TERRA”.

O Espírito Santo já habita em nós!
O Espírito Santo tem derramado em mim compaixão para com o meu próximo. O meu próximo e todo aquele que necessita de qualquer ajuda.

No livro de Lucas, capítulo 10 do versículo 25 ao 37 relata, que um certo homem intérprete da lei, se levantou com o intuito de colocar Jesus a prova. Esta passagem fala da parábola do bom samaritano. Havia um intérprete da lei que sabia o que deveria ser feito em relação aos necessitados, não fazendo o que lhe era por responsabilidade, quis se justificar por sua omissão as necessidades do próximo. E ele pergunta a Jesus: Quem é o meu próximo?

Jesus conta a parábola e cita três tipos de pessoas diferentes, mais não menos envolvidas com a igreja do Senhor, sendo elas; o Sacerdote, o Levita e o Samaritano. Você deve conhecer a passagem, se não, não perca a oportunidade de se deleitar esse texto bíblico. Dentre os três apenas o Samaritano teve compaixão por aquele homem que estava quase morto a beira do caminho.

O Samaritano se dispôs naquele momento de tudo que tinha, derramou óleo e vinho nas feridas daquele homem, o colocou sobre o seu animal e o levou para uma hospedaria. Ali tratou das feridas daquele homem, que nem se quer conhecia. O Samaritano, tendo que continuar sua viagem, não o deixou à deriva, mas, pagou todas as despesas do pobre homem até que ele voltasse.

O Senhor tem chamado muitos de nós para sermos SACERDOTES E LEVITAS para o reino Dele, mais por causa da nossa religiosidade e egoísmo não agimos como este Samaritano.

Entendo que nós podemos dar destinos para pessoas, praticando o “novo mandamento” de Jesus, escrito em Lucas capítulo13 versículo 34: “Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros”.

Eu não creio em amor sem ação, sem renúncia.“Não amemos de palavras nem de língua, mas de fato e de verdade”. 1 Jo 3.18

Em Tiago capítulo 2 do versículo 15 ao 16 diz: “Se um irmão ou irmã estiverem necessitados de roupas e do alimento de cada dia, e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?”.

Estamos vivendo um tempo de total desprezo por pessoas, principalmente por aquelas menos favorecidas, os POBRES. A bíblia mesmo já alertou ao dizer que no fim dos tempos o amor se esfriaria.

Em Tiago capítulo 2 versículos 5 e 6 diz:“Ouvi, meus amados irmãos. Não escolheu Deus os que para o mudo são pobres, para serem ricos em fé e herdeiros do reino que ele prometeu aos que o amam? Entretanto, vós outros menosprezastes o pobre. Não são os ricos que vos oprimem e não são eles que vos arrastam para tribunais? Que sejamos constantes no amor fraternal. Não negligencieis a hospitalidade, pois alguns, praticando-a sem saber acolheram anjos.”

“Lembrai-vos dos encarcerados, como se presos com eles; dos que sofrem maus tratos, como se, com efeito, vós mesmos em pessoa fôsseis os maltratados.” (Hebreus 13:1-3)

Diante da vida e ensinamentos de Jesus nosso Senhor e seus discípulos:
DECIDIMOS amar uns aos outros, pois a igreja verdadeira é aquela que ama mesmo quando o amor não é correspondido.

Referências para você meditar:
• Gálatas 5.6 –“ A única coisa que tem valor é a fé que atua pelo amor”...
• Tiago 2.17e18 – “Fé sem obras é morta”...
• 1João 3.16 e 17 – “Aquele que tem recursos, deve repartir com quem não tem”...

Carlos Alexandre de Araujo